Distrito de Beja com Francisco Lopes: Protestar votando

Artigos Relacionados

It look's like you don't have Adobe Flash Player installed. Get it now.

Intervenção de Francisco Lopes no almoço em Beja

Os mais de 700 participantes no almoço de apoio a Francisco Lopes, no Parque de Feiras e Exposições de Beja confirmou o grande entusiasmo com que o povo do distrito o recebeu, também em Alvito, Cuba e Vidigueira.

Acompanhado pelo Secretário-Geral do PCP, Jerónimo de Sousa, o candidato recordou como a região alentejana e o seu potencial agrícola tem sido abandonado por sucessivos governos do PS e do PSD, nos últimos 25 anos, e acusou o candidato Cavaco Silva por «não ter apoiado a agricultura, quando foi Primeiro-Ministro».
salientando a necessidade de o País aproveitar o potencial agrícola da região, Francisco Lopes considerou que dessa forma estariam criadas condições para a criação de emprego para a juventude, evitando que emigrem.
O candidato também lembrou os recursos minerais na região, em Aljustrel e em Neves Corvo, salientando que «essas potencialidades têm de estar ao serviço do povo e do País, e não de multinacionais, como actualmente, que apenas recolhem o minério em bruto para o transformarem no estrangeiro», acusou.
O adiamento da construção do aeroporto, de vias rodoviárias fundamentais ao desenvolvimento, bem como de linhas férreas, a destruição de serviços públicos de saúde e de ensino, essenciais às populações, e os constantes sacrifícios impostos os portugueses, por via de cortes nos salários, nas pensões, nas comparticipações e em direitos sociais foram motivo de severa critica, pelo candidato, em todas as acções de campanha.

No Alvito, à porta do mercado municipal, uma mulher esperou por Francisco Lopes para lhe contar a situação de total pobreza em que se encontra, desempregada, com dois filhos, «se não fossem os vizinhos e o almoço para os filhos quer a Câmara dá, era a miséria total», afirmou, sensibilizando o candidato que apelou para que use o voto como protesto contra a situação ao social que o País atravessa, e condenar os responsáveis por esta situação.
Entre entusiásticos cumprimentos e saudações, muitos foram os populares e comerciantes que garantiram, no mercado, o voto nesta candidatura «da mudança por uma política patriótica e de esquerda».

Em Cuba, a biblioteca municipal encheu com povo de todas as gerações para ouvir o candidato. Apresentado pela mandataria distrital, Lourdes Hespanhol,
que lembrou ser esta «a candidatura em defesa do que menos podem e têm», o candidato avisou que, por culpa do Orçamento do Estado, apoiado pelos outros candidatos, «o povo vai viver pior».
l
Fortemente aplaudido por quem o sabe e sente, o candidato teve igual e animada recepção em Vidigueira, onde, com apoiantes, dirigentes do PCP e responsáveis autárquicos, desfilou numa arruada, iniciada junto ao Largo da Matriz e terminada junto ao mercado municipal. Por cafés, restaurantes e pela rua, o candidato foi sempre simpaticamente saudado, com palavras de ânimo e a garantia de que o distrito de Beja está com Francisco Lopes.

Share this
Versão para Impressão